Fungos: Segue a segunda lista de exercícios com gabarito sobre o conteúdo de fungos. (Parte 2)

Posted on

Em geral, estes fungos produzem também estruturas assexuadas, os conídios que asseguram sue disseminação.

Muitos fungos, nos quais não foi até agora reconhecida a forma sexuada de reprodução, são incluídos entre os fungos imperfeitos. Por diferentes processos, os fungos podem elaborar vários metabó1itos, como antibióticos, dos quais a penicilina é o mais conhecido e micotoxinas, como aflatoxinas, que Ihes conferem vantagens seletivas. As manchas foliares causadas por fungos, como por exemplo, as helmintosporioses e septorioses, podem causar redução do rendimento de grãos por afetar a eficiência do processo de fotossíntese das plantas. (teleomorfo P. tritici-repentis (Died.) Para muitos fungos desconhecem-se estados de reprodução sexual Alguns fungos perderam a capacidade de se reproduzir sexualmente A reprodução sexual em alguns grupos é muito rara Teleomorfo (Ascomycota ou Basidiomycota) HOLOMORFO Anamorfo (antigos Deuteromycota) ESTRUTURA DOS FUNGOS Os fungos podem se desenvolver em meios de cultivo especiais formando colônias de dois tipos: - leveduriformes; - filamentosas. O conidióforo e a célula conidiogênica podem formar estruturas bem diferenciadas, peculiares, o aparelho de frutificação, também denominado de conidiação que permite a identificação de alguns fungos patogênicos. Alguns fungos mais complexos apresentam hifas septadas (divididas), onde cada septo pode ter um (monocariótica) ou dois núcleos (dicariótica).

Fungos: Segue a segunda lista de exercícios com gabarito sobre o conteúdo de fungos.

  • estrias iniciais marrom escuras
  • estrias aparecem nas folhas de número 2-4 (Cavendish não pulverizadas)

Os fungos são classificados em quatro subdivisões:Zigomicetos – vivem no solo, formam esporos flagelados e menos frequentemente ocorre a reprodução sexuada sem formação dos corpos de frutificação.

peritécios sao superficiais, sub-globosos, papilados, glabros, contendo aseas … 5 Fungos em sementes de soja: detecção, importância e controle Sob determinadas condições ambientais, algumas espécies podem formar Reprodução assexuada (somática) sem cariogamia esporos produzidos mitoticamente fragamentação de hifas gemulação ocorre com mais frequência (várias vezes/estação) maior número de indivíduos quantidade x variabilidade 5. Nota: Beauveria bassiana (nome da fase assexuada do fungo ou anamorfo) é o nome mais usado do fungo Cordyceps bassiana (nome da fase sexuada do fungo ou teleomorfo). Um problema mais difícil que distinguir fungos de plantas é distingui-los de outros organismos com a mesma forma de crescimento, e são suas características moleculares que tem ajudado nesse aspecto. Enquanto alguns fungos vivem na água, a maioria das espécies não cresce bem quando submergida em água devido a baixa disponibilidade de oxigênio. Em adição, a luz pode estar involvida na orientação de estruturas que levam esporos, e os esporos de inúmeros tipos de fungos são liberados forçosamente em direção à luz. Em adição aos fungos parasitas que são claramente nocivos aos seus hospedeiros, há várias espécies que apresentam relações mutualísticas com animais e ou plantas. E é claro, existem alguns fungos que são micoparasitas e até podem alimentar-se de parentes próximos através da produção de estruturas especializadas pelos seus talos. Algumas espécies de fungos podem existir tanto como hifas como leveduras e então são ditas DIMÓRFICAS.

Os fungos são utilizados de diversas formas, entre elas como solubilizadores de nutrientes do solo, bioinseticidas e biofungicidas, garantindo mais sustentabilidade ao meio ambiente.

  • Etiologia
  • Sintomas
  • Danos
  • Recomendações de manejo

Na maioria dos fungos complexos a parede do septo, próxima ao poro central, está aumentada ou inflada para formar uma estrutura em forma de barril.

Na maioria dos fungos verdadeiros essas vesículas são apertadamente agrupadas com algumas outras estruturas para formar uma única e dinâmica estrutura chamada Spitzenkörper. 21) Tubos germinativos, hifas e mesmo esporos de alguns fungos são rodeados por uma matriz extracelular. As hifas, e em alguns casos, os esporóforos de uma variedade de fungos também podem ser decorados com cristais de oxalato de cálcio. Isso inclui uma variedade de diferentes tipos de estruturas produtoras de esporos que serão discutidasmais tarde nos diferentse grupos de fungos. Hifas de fungos patógenos de plantas crescendo dentro dos tecidos de seus hospedeiros exibem vários padrões de crescimento dependendo do tipo de patógeno envolvido (Mims, 1991). Teleomorfo é usado para descrever o estádio sexual, enquanto anamorfo é usado para o está dio assexual. Mais recentemente tem sido proposto substituir estes termos por fungo meiospórico (teleomorfo) e mitospórico (anamorfo) ver Reynolds & Taylor, 1993 e Korf & Hennebert (1993). O método mais comum de reprodução assexual em fungos é por meio de esporos. A reprodução sexual em fungos, como em outros organismos vivos, envolve a união de dois núcleos compatíveis.

Grupo de cientistas mostrou que os fungos causadores da doença em formigas são impedidos de se reproduzir por um outro grupo de fungos

  • homicídio
  • presídio
  • ofídio
  • etnocídio
  • feminicídio
  • enquirídio
  • deicídio
  • regicídio
  • matricídio
  • lipídio
  • resídio
  • sororicídio
  • coccídio
  • genocídio
  • fratricídio
  • autocídio
  • feticídio
  • femicídio
  • lídio
  • desídio
  • trintídio
  • magnicídio
  • glicídio
  • uxoricídio

A reprodução sexual na maioria dos fungos envolve a formação de esporos especializados.

Enquanto a incompatibilidade vegetativa pode ser governada pelos denominados genes “mating-type” envolvidos na reprodução sexual, muitos fungos têm conjuntos especiais de genes envolvidos no controle da fusão hifal. Deve-se dizer que um grande número de fungos não apresenta órgãos sexuais diferenciados, e hifas e núcleos são funcionalmente os gametângios e gametas. Sua estrutura somática é a hifa e alguns fungos podem produzir corpos de frutificação. Por fim separamos os fungos com reprodução sexuada presente entre aquele que produzem esporos endógenos (Ascomycetes - asco=saco) e os que produzem esporos exógenos (Basidiomycetes). Reprodução assexuada (somática) * sem cariogamia* esporos produzidos mitoticamente * fragamentação de hifas * gemulação ocorre com mais frequência (várias vezes/estação) maior número de indivíduos quantidade x variabilidade 53 Filo Oomycota a) semelhanças com os Fungos* micélio (cenocítico como nos Zygomycota) * reprodução por esporos móveis (Chytridiomycota) * reprodução assexual e sexual 83 Filo Basidiomycota Características gerais:* esporos sexuais externos: basidiósporos, produzidos em basídios * micélio bem desenvolvido e septado * presença frequente de rizomorfas * septos do tipo dolipore na maioria das espécies 120 conídio permite a identificação da subdivisão à qual o fungo pertence: Os fungos podem ser identificados por seus aspectos: em vida Células com paredes espessadas ricas em nutrientes e substâncias de reserva intercalares no micélio somático ou em células de esporos clonais (conídios) de certos fungos.

Costuma ter a unha do seu pé com uma cor amarela e com uma forma mais grossa que as restantes? Descubra aqui como curar os fungos da unha do pé!

Eles representam a forma mais comum de reprodução assexuada dos fungos, e são muito importantes para a dispersão destes organismos na natureza.

Fungos são distribuídos ao redor do mundo de forma que eles podem formar um grupo heterogêneo com uma variedade de espécies. As primeiras fases da interação entre fungos fitopatogênicos e suas plantas hospedeiras potenciais são decisivas para a colonização da planta pelo fungo. O micélio de muitos fungos imperfeitos assemelha-se aos Ascomycota, esporulando mais rapidamente em cultura do que na natureza. Em geral, as espécies que produzem conídios sobre conidióforos formados diretamente sobre hifas somáticas, esporulam mais rapidamente do que aqueles que produzem conídios em estruturas mais complexas como picnídios. A reprodução, como já comentamos, ocorre por meio de conídios, que são esporos de origem assexual e imóveis, produzidos sobre o ápice de estruturas especializadas denominadas conidióforos. (anamorfo) e Ceratocystis fimbriata (teleomorfo) causam a seca da mangueira. Publicidade Noções sobre fungos e classificação taxonômica Os fungos são organismos eucarióticos cujos núcleos são dispersos em um micélio (conjunto de hifas) contínuos ou septados. Portanto, a quase totalidade dos fungos fitopatogênicos apresentam o sistema vegetativo filamentoso (hifas) e ramificado (conjunto de hifas = micélio). Assim, conclui-se que os fungos, em geral, podem possuir, ao contrário do que ocorre em outras áreas da biologia, dois nomes científicos para uma mesma entidade biológica. Essa técnica se presta especialmente para fungos que esporulam na superfície de lesões e cujos esporos não são produzidos no interior das frutificações. RESULTADOS E DISCUSSÃO Hospedeiro/cultura: Couve (Brassica oleraceae var acephala (L.)) Família Botânica: Brassicaceae ou Cruciferae Doença: Oídio da couve Agente Causal: Erysiphe polygoni (Teleomorfo) e Oidium sp. Etiologia Erysiphe polygoni corresponde à fase sexuada (teleomorfo) do fungo e Oidium corresponde à fase assexuada (anamorfo). REPRODUÇÃO A reprodução dos fungos é caracterizada pela produção de esporos; quando atinge o plectenquimatosa Espécie … 10 Fungos em sementes de soja: detecção, importância e controle Esses dois tipos de esporos podem ser produzidos, não raramente, no mesmo Fungos mitospóricos são também denominados de fungos imperfeitos pois há a ausência ou não constatação de estruturas sexuais de reprodução. Alguns dos fungos obtidos já eram conhecidos do levantamento anterior mas três espécies ainda não tinham registros no país, sendo relatadas pela primeira vez: Chlamydopsis proliferans Hol.-Jech. A forma de Classificação dos fungos ascomycetes, como nos basidiomycetes, dá-se através da observação das estruturas formadas durante a reprodução sexuada.